27/02/2014

Opinião "Orgulho e Preconceito" de Jane Austen





O que posso eu dizer de mal do Orgulho e Preconceito? Nada, rien de rien! É um romance que não tem "prazo de validade". Um romance que prevaleceu através dos tempos e que, dia para dia consegue cativar mais leitores.

Do que trata este livro? Ora bem, aqui fica um pequeno resumo (isto porque, como habitualmente, não quero tirar o prazer da descoberta a ninguém.)

A familia Bennet é composta por cinco irmãs, Mr. Bennet e Mrs. Bennet. A mãe, Mrs. Bennet, tendo a consciência que um dia que Mr. Bennet morra, as filhas não podem herdar a propriedade que habitam, não alberga mais ideia nenhuma na mente a não ser casá-las e bem. Quanto à filha mais velha, Jane, considerada a beleza lá das redondezas, será mais do que fácil arranjar-lhe casamento, pois para além de ser bonita é uma pessoa com feitio cálido e fácil. Pelo contrário a segunda filha mais velha, Elizabeth, é uma jovem espirituosa e frontal. Não guarda as suas idéias, algo arrebatadas para a época. Uma época em que casar por amor não era imperial e sim um capricho. Naquela época, casava-se por necessidade de uma vida estável e não por amores "assolapados" (permitam-me esta expressão deliciosa).

A bem dizer, a história começa mesmo quando Jane, a filha mais velha, se apaixona pelo jovem e rico visitante, Mr. Bingley. Isto porque, com Mr. Bingley vem Mr. Darcy. Um jovem com aspecto arrogante e maneiras pouco simpáticas. Elizabeth, imediatamente cai de "desamores" por ele. Mas como a linha que separa o ódio do amor é muito, muito ténue, foi "apenas" um pequeno passo, até ela cair de amor por ele, não sem antes ele ter caído por ela. (que lindooo)

É de facto um romance em que o Orgulho impera e o Preconceito igualmente. Mal entendidos que poderiam ter tido um desfecho muito pior.

Na mesma altura em que acabei o livro, visualizei o filme. Já andava há imenso tempo para vê-lo, mas tenho esta pancada de não ver os filmes antes de ler os livros. Não me enganei, mais uma vez. Apesar do filme ter duas horas de duração, não é um filme pesado, No entanto, o final descrito no livro, é muito mais arrebatador, no sentido de que nos mostra como foram as vidas deles, depois de todas as dificuldades ultrapassadas.

Jane Austen consegue, de uma forma absolutamente soberba e magistral, retratar-nos a sociedade daquela época. Um romance com algum humor, principalmente no que toca às passagens em que Mrs. Bennet, a mãe, surge com o seu feitio algo, peculiar.

A única coisa que poderia apontar de negativo neste romance é a falta algumas "beijocas" roubadas que poderiam, talvez, dar um pouco mais de "vida" às paixões arrebatadoras que existem na história.

Como não poderia deixar de ser, recomendo vivamente! 

Deixem apaixonar-se pelos Clássicos (fala o roto ao nú) e deixem, também que os vossos corações sejam arrebatados pela paixão inocente de Lizzie e Mr. Darcy.


6 comentários:

  1. Uiiiii, vais adorar Julia Quinn, Laura Lee guhrke, Sherry Thomas, Nicole Jordan e por aí fora *.* eheheheh essas têm 'algumas' beijocas e mais vida, mais paixão... e também mais gargalhadas... mas Jane Austen é Jane Austen... incomparável :P

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Lol... Mês de Abril reservo à Quinn ;)
      Espero que tenhas gostado da "review" ;)

      Eliminar
    2. Odiei... -.-'
      queres que continue?? :P LOL

      Eliminar
  2. Olá,

    ainda não li nada da autora. Tenho a impressão que não vou gostar muito...apesar de gostar dos filmes e, em especial, do filme sobre ela: A Juventude de Jane (com o maravilhoso James McAvoy).

    Talvez um dia tente ler o livro.

    Bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sabes que pensava o mesmo que tu? Mas depois de começar a ler (admito que é um tipo de leitura que custa a ser agarrada) é muito bom!

      Tenta e vais ver que se calhar n te vais arrepender!
      Tenho ali o Persuasão para ler e tou em pulgas para lhe pegar :p

      Eliminar

O seu comentário é valioso!
Obrigada pela visita e volte sempre!